terça-feira, 16 de abril de 2013

Piolho pode atingir adultos, além das crianças


Você percebeu que seu filho está coçando muito a cabeça? Cuidado, pois pode ser indício de pediculose. A infestação por piolhos, como é popularmente conhecida, atinge principalmente crianças em idade escolar. Mas adultos não estão livres do problema.

Os piolhos provocam coceira, marcas e consequentemente ferimentos e vermelhidão. Verifique também se não há no couro cabeludo lêndeas, aquelas bolinhas brancas que ficam grudadas nos fios e são os ovos dos piolhos – elas se diferenciam da caspa porque esta não fica agarrada ao fio. Se encontrá-las, retire-as com o auxílio de um pente fino, já que os medicamentos eliminam apenas os parasitas, e não os seus ovos, cujo período de incubação leva de oito a dez dias.

O contágio se dá por meio de contato com pessoas infestadas e compartilhamento de objetos pessoais como escovas de cabelo, bonés e roupas. O tratamento mais comum, que dura cerca de cinco dias, é composto por xampus e loções e deve ser repetido após uma semana para que o combate ao parasita seja eficaz.

Exame para todos em contato com o infectado
Engana-se quem pensa que o parasita só atinge as crianças. Os adultos também podem ser alvo dos piolhos, que se alimentam do sangue do couro cabeludo. E se os cabelos são compridos, cuidado redobrado! Os bichinhos também podem atingir sobrancelhas, cílios e outras regiões do corpo, além da região pubiana, provocando coceira, mancha, bolinhas e até infecção.

Quando um caso é detectado em uma família ou escola, todos os que tiveram contato com o infectado também deverão ser examinados e tratados de forma preventiva para ajudar a impedir outras transmissões. Durante o tratamento lave regularmente roupas de cama e banho da casa.

Lembre-se: ao notar qualquer indício da presença de piolhos, procure orientação do dermatologista.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário